Notícias do Litoral do Paraná

Criação de 8 cargos de assessores é rejeitado por unanimidade em primeira votação em Matinhos


Vereador diz que culpa do Bavaresco não estar hoje em Matinhos é do ex prefeito Chiquinho

Após um debate acalorado durante sessão extraordinária na noite desta quinta (22), foi rejeitado por unanimidade o projeto que previa a criação de 8 cargos de assessores na Câmara de Vereadores de Matinhos para atender a nova demanda do novo prédio que foi alugado e toda a estrutura atual vai passar para um imóvel com mais de 600 m² com dois pisos onde seriam redistribuídos todos os gabinetes além de um plenário com aproximadamente 250 lugares, sendo que hoje o plenário comporta apenas 40 pessoas.

Durante seus pronunciamentos assuntos como vinda da Havan e Bavaresco foram destaques uma vez que uma publicação nas redes sociais feita pelo vereador Rodrigo Gregório gerou indignação de alguns vereadores:

“Os Matinhenses pedem EMPREGOS e a Mesa Diretiva da Câmara de Vereadores de Matinhos ATENDEU !

Só que ao invés de buscar meios para a viabilizar a instalação de empresas como o Bavaresco e a Havan, que juntas iriam gerar quase 1000 empregos (diretos e indiretos) para a população, beneficiam a si mesmo e apresentam um Projeto de Lei para aumentar em 40% as vagas para ASSESSORES PARLAMENTARES COMISSIONADOS dos Gabinetes dos Vereadores. ”

O vereador Renato Polícia explicou que a vinda da Havan não tem nada haver com o legislativo pois é um embate judicial e que a lei que impede a instalação do Bavaresco é de 2006. Também lembrou que hoje a nomeação de assessores é prerrogativa da presidência da casa, e que quando apresentou um projeto de lei para que fosse alterado esse dispositivo dando autonomia para que cada vereador indicasse seus assessores não obteve as assinaturas dos vereadores que hoje estão reclamando.

O vereador Lagarto foi mais enfático em relação a postagem na rede social desafiando para que fosse publicada também a lei, quem sancionou a lei, quem era o prefeito na época que a lei que impede a vinda do Bavaresco foi sancionada.

O vereador Barão indagou “Como que pode em sã consciência imaginar que nós não queremos o Bavaresco?” Também ponderou que enquanto os imbróglios impedem a instalação de tais empresas que trariam empregos em um plano maior, por que não permitir em um plano menor que fosse criado pelo menos essas 8 novas vagas de trabalho na Câmara.

O vereador Marcio do Seda lembrou que o interesse da Havan em se instalar em Matinhos é justamente pelo potencial de crescimento que a cidade oferece, pesquisa feita pela própria Havan, que escolheu dentre todas as cidades do litoral a cidade de Matinhos.

O vereador Jair Pescador explicou que todos os assessores da câmara atendem a todos os vereadores e que sempre foi assessorado tanto por funcionários concursados como comissionados.

O vereador Rodrigo Gregório que assumiu ser o autor da postagem na rede social, disse que quer em seu gabinete alguém que seja do seu elo de amizade e confiança.

O vereador Dan disse que essas publicações em redes sociais visam confundir os eleitores, e que o vereador que assumiu a publicação deveria também expor que a lei que proíbe a vinda do Bavaresco foi feita e sancionada na gestão do do Prefeito Francisco Carlim dos Santos, o Chiquinho, pai do vereador Rodrigo Gregório.

O momento mais acalorado o Vereador Rodrigo disse que o vereador Sandro do Gás era relator do plano diretor, mas foi rebatido pelo vereador Sandro, que era vereador e relator da comissão de finanças e orçamentos, mas que como vereador de primeiro mandato em uma lei tão grande passou despercebidos, até por que não continha a palavra supermercado, e que o conselho do litoral a época não aceitou as emendas sugeridas. Disse ainda que mesmo não estando julgando ninguém, se a Havan não está na cidade o decreto criando o parque foi feito pelo Zé Maria, a lei que impede a vinda do Bavaresco, a “caca foi teu pai que fez”.

Já o vereador Rodrigo afirmou que o erro foi da Câmara na época que aprovou e não revisionou totalmente, foi erro da Associação Comercial, Conselho do Litoral, e foi rebatido pelo vereador Sandro que disse que “a Câmara pode ter errado por que veio uma porcaria de um projeto, que se tivesse visto tal artigo teria mudado, e que se o Prefeito tivesse dito que colocou aqui num artigo escondido pra ferrar um então possível candidato a prefeito Eduardo Dalmora, por que ninguém faz um projeto ferrando supermercado com boas intenções, hoje o projeto de 2006 de autoria do ex prefeito Francisco Carlim dos Santos, prejudica o mercado Bavaresco, não é de autoria minha, quem fez a lei que hoje está refletindo na não construção do supermercado Bavaresco na nossa cidade, que conforme a postagem ia gerar um monte de emprego, foi na gestão do ex prefeito Francisco Carlim dos Santos, conhecido popularmente como Chiquinho, e que eu era vereador à época, e que vereador de primeiro mandato, não tive o discernimento, nem a visão e nem a lupa, e ninguém me avisou disso, que tinha um artigo que hoje está refletindo na construção do Bavaresco, e eu pergunto pra vocês por que que foi colocado esse maldito artigo num projeto de lei se não tinha a intenção de ferrar ninguém?

O Presidente Gerson da Silva Junior também explicou que os dois projetos apresentados são de recomendação do tribunal de contas do estado e também do tribunal de justiça, e que essa casa de leis sempre se adequa ao pedido judicial. Disse ainda que o atual prédio da Câmara que já foi correio, escola, e que é um espaço que não atende mais com excelência a população. Também disse que as verbas são distintas, o poder executivo tem sua arrecadação e o legislativo tem seu repasse, que é uma verba que não pode ser aplicada em outras coisas a não ser diretamente para a Câmara de Vereadores e seu funcionamento, que o primeiro projeto da atual mesa foi a criação de um fundo de reserva onde hoje mesmo já com a compra do terreno para a construção da sede própria, conta com 920 mil reais em caixa, e que o novo prédio conta com total acesso a portadores de necessidades especiais, também a toda a imprensa, e que precisamos ter uma representatividade a altura dos demais poderes e que a presidência dará toda a estrutura para todos os vereadores. Também disse que o prefeito já contratou a empresa para revisão do plano diretor e que há no site da prefeitura um link onde a população pode fazer sugestões a respeito do novo plano diretor.

Quanto a audiência pública sugerida pelo vereador Rodrigo foi marcada em 2018, mas que devida a uma representação do Ministério Público foi cancelada a mesma e demais sessões.

O projeto 06/2019 após toda essa discussão foi rejeitado por unanimidade. Já o projeto 07/2019 que cria a função de diretor de contas foi aprovado por unanimidade sendo marcada para esta sexta as 18 horas a segunda votação.

Afogamento na Praia de Caieiras em Guaratuba

Fotos: Redes Sociais      Quatro pessoas da mesma família se afogaram no mar em Guaratuba, na Praia de Caieiras, no ...

Geral

Feriado da Proclamação da República terá movimento Intenso ...

     O dia da Proclamação da República, 15 de novembro, é apenas o quarto feriado nacional em dia útil de 2019. Além ...

Geral

Suspeitos são presos com arma,munições e dinheiro em Pontal ...

     Policiais militares da 2º Companhia, do 9º BPM, abordaram e detiveram três homens suspeitos de um roubo, ...

Policial

Rapaz é preso logo após agredir companheira com cabo de ...

Foto: Imagem Internet      Um homem de 26 anos foi preso na manhã de quarta-feira (13), em Paranaguá, depois de ...

Policial

Polícia Civil faz apreenção de 45 caixas de cigarros ...

     Equipes da Polícia Civil de Paranaguá e Pontal do Paraná apreenderam no final da tarde de segunda-feira, 11, ...

Policial

35 moradores de Caieiras são qualificados pela Capitania ...

     A Capitania dos Portos do Paraná (CPPR) realizou a entrega dos certificados de conclusão do curso de Marinheiro ...

Geral


 

 

 

 


 

 

 

 

Previsão do Tempo

 

booked.net