Notícias do Litoral do Paraná

Vereador Zé da Ecler é reconduzido ao cargo por liminar da justiça

A juíza da comarca de Matinhos Danielle Guimarães da Costa concedeu através do mandato de segurança cível 0004707-69.2019.8.16.0116 a recondução de Zé da Ecler ao cargo de vereador em Matinhos.

Segundo consta na defesa:

Trata-se de mandado de segurança individual, impetrado por JOSÉ CARLOS DO ESPÍRITO SANTO contra ato tido como coator alegadamente praticado pelos Membros da Mesa Diretiva da Câmara Municipal de Matinhos, : que foi instaurado argumentando, em breve síntese

a) procedimento administrativo para a perda de seu mandato em razão de faltas, supostamente injustificadas, em seis sessões extraordinárias consecutivas;

b) que, no prazo concedido à defesa, justificou as ausências ao argumento de que não havia sido devidamente convocado para as referidas sessões;

c) que, mesmo diante da justificativa, em 20/08/2019 o Presidente da Câmara Municipal de Matinhos, decretou a perda de seu mandato, por meio do Decreto Legislativo de nº 002/2019 e, na mesma data da publicação do decreto, o 1º suplente, Moabe Santos Batista, assumiu a vaga;

d) que o impetrante já estava respondendo a outro processo de cassação por quebra de decoro, sendo que na mesma data da assunção do suplente foi realizada a votação do Relatório Final do referido processo e, com oito votos, dentre eles o de Moabe Santos Batista, o impetrante teve seu mandato cassado; e) que, em razão de liminar concedida nos autos de nº 0004403-70.2019.8.16.0116, o suplente estava proibido de participar da votação deste processo;

f) que requereu, junto à Câmara de Matinhos, as certidões de convocação para as sessões extraordinárias, as quais confirmaram a irregularidade das intimações feitas por “whatsapp” ao Impetrante, desrespeitando, assim, a forma e o prazo fixados na Lei Orgânica e também no Regimento Interno da Câmara Municipal, que determinam que a convocação seja feita pessoalmente e por escrito.

A Liminar não julgou o mérito da ação e aguarda o prazo de 10 dias para contra razões. Zé da Ecler teve seu mandato extinto por faltar a seis sessões extraordinárias em sequencia o que conforme previsto no Regimento Interno e teve novamente o mandato cassado em uma sessão que durou 8 horas quando teve o processo lido praticamente na íntegra a pedido do vereador Nando. A votação dessa segunda perda de mandato contou com 8 votos, sendo um dos votos do vereador Barão Suplente convocado após a extinção do mandato do vereador Zé da Ecler pelas faltas, por isso neste caso a justiça suspendeu os efeitos dos decretos legislativos 02 e 03 de 2019 até ser julgado o mérito da ação. Mais notícias em Breve

Preso pela ROTAM mais um suspeito de tráfico de drogas em ...

     Policiais militares das Rondas Ostensivas Tático Móvel (Rotam) prenderam, no início da noite de terça-feira ...

Policial

Embarcação afunda próximo a praia e pessoas são resgatadas ...

    Foto: Wilmar  Uma lancha naufragou na praia em Guaratuba e os ocupantes foram resgatados pelo banana boat, além ...

Geral

Jovem está desaparecido no Litoral

Nestor Eugenio está desaparecido desde domingo (12), ele tem aproximadamente 1.65 de altura e 75 quilos, com uma ...

Policial

O Corpo de Bombeiros informam que triplicaram as ...

     O número de queimaduras por águas-vivas nas praias do litoral paranaense triplicou na temporada 2019/2020 em ...

Geral

Motociclista morre em acidente ao colidir com caminhão na ...

     Um homem de 34 anos morreu, na madrugada deste domingo (12), em um acidente entre uma motocicleta e um ...

Geral

Cochilo ao volante causa queda de veículo em córrego na PR- ...

     O cochilo de uma motorista na PR-407 – que liga a BR-277 às praias – poderia ter provocado uma tragédia na tarde ...

Geral


 

 

 

 


 

 

 

 

Previsão do Tempo

 

booked.net